Pesquisar

Carregando...

19 de fevereiro de 2010

NUNCA DEIXE DE MOSTRAR OS DENTES - Fábula


NUNCA DEIXE DE MOSTRAR OS DENTES

Fábula


Certa vez um homem santo, em uma de suas viagens, ao passar por um  vale cercado de belas montanhas, deparou com uma linda cidade e reparou que seus habitantes tinham algo de diferente.
Era um povo triste e solitario  e que não parecia viver num lugar de tanta beleza.
Com tanto conhecimento dos problemas humanos, procurou o prefeito da cidade para saber o que de grave acontecida naquele lugar.
Muito assustado e receoso, o prefeito lhe contou que a cidade era dominada por um dragão que exigia que todos os  meses, uma donzela fosse levada até ele para sacrificio e que, se sua ordem não fosse obedecida ele destruiria toda cidade não deixando pedra sobre pedra.
De imediato o homem santo partiu para conhecer o tal dragão.
Ao chegar a uma imensa gruta, deparou com o temido dragão . Era um animal muito grande de garras e dentes afiadissimos e de narinas ofegantes,  de sua boca saiam jatos de fogo que queimava tudo que estivesse a sua volta. Ao aproximar-se daquela temida fera, o homem santo olhou dentro dos seus olhos e com uma voz calma de um grande sabio lhe disse: 
- Dragão, eu sou a luz e a verdade e lhe digo, se você comer mais uma donzela nesta cidade eu farei com voce o que faço agora com esta pedra. 
O homem santo apontou o dedo para uma imensa rocha, falou algumas palavras e de imediato a rocha explodiu transformando-se em um pequeno monte de areia. 
O dragão desesperado, refugiou-se no interior da gruta temendo o que lhe poderia acontecer.
Assim feito, o homem santo continuou sua caminhada pelo mundo, pois ainda tinha muito o que fazer pela humanidade.
Anos se passaram e um belo dia, o homem santo voltou à cidade onde o dragão dominava por muitos anos.
Ao entrar na cidade, reparou que tudo havia mudado, crianças brincavam, as pessoas irradiavam felicidade como se  ali nada de mal nunca estivesse acontecido. Curioso, o homem santo resolveu visitar o temido dragão. 
Ao chegar à gruta teve uma grande surpresa, aquele animal tão temido e perigoso estava um descalabro, muito  magro e  ferido, mal conseguiu falar.
Aproximou-se o homem santo e vendo aquele pobre animal perguntou-lhe:
- Es tu o temido dragão destruidor de criancinhas?
O animal com a voz tremula e ofegante lhe respondeu:
- Sou sim.
- Como conseguiste ficar neste estado?
Indagou o homem santo.
Apavorado e tremulo o dragão respondeu:
- O que eu poderia fazer, o senhor iria me destruir! Hoje estou morrendo aos poucos, não como e nem bebo e não tenho nem forças para caminhar e buscar um meio de como sobreviver. Sou agredido por todos da cidade, até as crianças me atiram pedras.
Olhando nos olhos daquele pobre animal o homem santo lhe respondeu:
- Quando estive com voce a primeira vez  eu apenas lhe proibi de comer donzelas, mas não lhe proibi de mostrar os dentes.

Devemos sempre carregar a paz, o amor, a compreensão e o entendimento em nossos corações porem, nunca deixar de “mostrar os dentes”.
“Mostrar os dentes” para as desigualdades, para as desonestidades, para as mentiras e  para a corrupção, pois só assim mudaremos nosso modo de ser.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este blogue respeita todos os seus leitores... mas você é especial!
Obrigado pelo comentário!"