Pesquisar

Carregando...

20 de fevereiro de 2010

PARA ONDE CAMINHA A HUMANIDADE? - O fim dos tempos




PARA ONDE CAMINHA A HUMANIDADE?



Anos Dourados

Como os tempos mudaram, mudaram os conceitos de honestidade, os conceitos de moral, os conceitos de família. Destruíram o respeito para com as coisas de Deus e dos homens. Destruíram os princípios da ética e da moral. Extirparam os conceitos sociais criando uma nova raça humana onde prevalece apenas a ideologia de cada um.
Recordo-me de minha infância com os meus 10 ou 11 anos, quando pelo menos uma vez por mês ia confessar ao padre na paróquia onde morava; ajoelhava-me diante dele, constrangido e receoso em contar os meus pecados; e que pecados! Indagava-me o padre: “quais são os seus pecados, meu filho?”. Morto de vergonha eu lhe respondia: “senhor padre; eu respondi a minha mãe e falei palavrões.” O padre me dava a penitência e normalmente eu ficava um bom tempo sem cometer os tais pecados.
Era impossível naquela época qualquer criança cometer outros tipos de pecados; a inocência, o respeito pela família, os princípios cristãos não o permitia. Naquela época, havia dois extremos; um que pertencia aos filhos e outro que pertencia aos pais. O que pertencia aos filhos tinha como principio básico o amor e o respeito aos pais. O que pertencia aos pais tinha como principio básico o respeito e a moral para com os filhos.
Como era importante todos sentados à mesa nas refeições orando a Deus pelo dia e agradecendo-o pelo alimento que estávamos recebendo. Como era importante pedir aos pais a “benção de Deus” quando íamos dormir. Todo esse respeito fazia com que os laços de uma família digna se mantivessem por muitos e muitos anos.
Recordo-me que morei em um bairro em Belo Horizonte durante mais ou menos 10 anos. Era um bairro novo com apenas 40 anos. Desde a sua fundação, até os anos que lá morei, foi cometido apenas um crime. Foi uma calamidade; o genro matou a sogra com uma faca de cozinha. Aquele fato marcou muito, por todo o bairro não se comentava outra coisa que não fosse aquele brutal assassinato.
Palavras como estupro, maconha, drogas, corrupção, seqüestro e outras mais não existiam nos dicionários daquela época.
Já quando rapaz; como era excitante pegar simplesmente nas mãos da namorada; o beijo era uma viagem a um mundo de sonhos e fantasias. O caderno de perguntas e respostas que circulava por entre os jovens, desvendava sonhos em conhecer por entre as linhas os segredos de cada amigo ou amiga. Recordo-me com saudades das noites que passávamos ao luar fazendo serenata ou simplesmente em reunião com os rapazes e as moças a tocar violão cantando as mais belas melodias daquela época.
Eram habituais as nossas reuniões aos sábados, sempre escolhendo previamente a casa de um dos amigos, onde realizávamos os nossos “sábados dançantes”. Iniciava-se pontualmente às 8 horas da noite e normalmente encerrava às 11 horas. Junto levávamos os discos de vinil e a casa oferecia aos convidados um saboroso “cuba-livre”; Coca-cola, Rum Montila e limão. Sempre quem preparava o cuba-libre era o dono da casa com a assessoria dos pais. Era impossível se identificar na bebida alguma presença de Rum, pois o importante era dançar e não permitir que nenhum jovem ficasse embriagado. De rostos colados, mãos trêmulas e suadas, dançávamos a noite toda trocando os pares entre amigos e irmãos sem qualquer outro sentimento que não fosse dançar e sonhar ao som de uma musica romântica de Ray Conniff, Românticos de Cuba, Billy Vaugh e outros.
Hoje tudo mudou. Não existe mais respeito entre os pais e filhos. Todo aquele conceito de moral foi totalmente aniquilado.
Nunca poderíamos imaginar naquela época que um garoto de apenas 12 anos seria capaz de empunhar uma arma e tirar a vida de outra pessoa, nunca poderíamos imaginar uma garota de 13 anos grávida. A sociedade e os meios destruíram tudo que havia de ingênuo e puro numa simples criança de apenas 12 ou 13 anos.
Conseguiram transformar aqueles garotos de: “bolinha de gude”, “jogadores de pião”, “soltadores de papagaios” em assassinos, bandidos e drogados. Conseguiram transformar aquelas garotas de: “brincar de boneca,” “brincar de amarelinha”, “passar-anel”, em prostitutas e drogadas. E ainda diz a sociedade que tudo isso é evolução. Conforme disse certa vez uma cantora famosa na televisão: “minhas duas filhas fumam maconha, porem, só o fazem dentro de casa”. Como uma pesquisa na Rede Globo durante o programa “Você decide”, em que o namorado dormia com a namorada em sua casa com o consentimento dos pais, porem, a filha não tinha o mesmo consentimento, ou seja, não poderia dormir com o namorado em casa como fazia o irmão; como quem decidia o final do programa era o telespectador, ele deveria ligar para o programa e decidir se a namorada deveria ou não dormir com o namorado em casa conforme o irmão. Como também uma modelo que posou nua para uma revista masculina afirmando num programa de televisão que: “graças a Deus a revista em que eu posei, vendeu mais de 800.000 exemplares”.
E ainda um homossexual sendo entrevistado em um programa de televisão para explicar ao telespectador como foi a sua primeira noite como homossexual.
Seria impossível relatar o volume absurdo do lixo que é levado para as casas das pessoas. A coisa é feita justamente com a finalidade de destruir a família, extirpar a moralidade e acabar com o pouco de dignidade que ainda existe dentro de algumas famílias.
Que Deus seja louvado!
Achiles Holanda

3 comentários:

  1. bounisiomo disquinho du musica brasilera! eu queru facer uno cosi.!! Seria impossível relatar o volume absurdo do lixo

    ResponderExcluir
  2. realmente a sociedade, os meios de comunicacao so tem apresentado aos nossos jovens porcarias que nos ffazem acreditar que é licito perder virgrndade cedo, traicao ta super na moda e é totalmente careta quem nao faz isso.E muitas outras coisas destruindo a infancia, desrespeitando as familias e destruindo mais e mais o carater humano, preparando assim uma geracao futura agressiva, rebelde, assassina...esse é o mundo q estamos construindo(ou destruindo, depende do ponto de vista)

    ResponderExcluir
  3. eu publiquei um comentario no nome de anonimo, mas meu nome é ivone soares

    ResponderExcluir

Este blogue respeita todos os seus leitores... mas você é especial!
Obrigado pelo comentário!"